Notícias

Julinho Fuzari critica Marcelo Lima e ataca Orlando Morando

Presidente do PPS de São Bernardo e um dos líderes da pré-campanha a prefeito do deputado federal Alex Manente (PPS), o vereador Julinho Fuzari chamou de “incoerente” o ex-colega de partido e também parlamentar Marcelo Lima (SD), após a decisão de apoio à candidatura do deputado estadual Orlando Morando (PSDB) ao Paço.

A afirmação do popular-socialista foi proferida ontem, em visita à sede do jornal Diário do Grande ABC, um dia depois do anúncio eleitoral de Marcelo – o vereador disparou críticas a Alex e, entre outros ataques, disse que a campanha do popular-socialista tinha DNA petista pelo apoio dado por Alex ao prefeito Luiz Marinho (PT) no segundo turno do pleito de 2008.

“O PSDB é que possui o DNA do PT, por todos que agregou. O ex-prefeito Mauricio Soares (PHS), que até esses dias era do governo Marinho (PT), é um caso. No passado ele chamou o Orlando de mimado. Outro é o Edinho Montemor (ex-deputado federal, PSDB), que foi coordenador de campanha de um deputado estadual petista (Luiz Fernando Teixeira), além de ser sócio da empresa de futebol (o São Bernardo Futebol Clube)”, afirmou Julinho.

O presidente do PPS de São Bernardo citou episódio de aproximação de Marcelo com a bancada de Luiz Marinho na Câmara para desmentir o colega, que declarou nunca ter subido no palanque de um petista. “O estranho foi o Marcelo dizer que nunca esteve com o PT. Não é segredo para ninguém que ele pertenceu à base aliada do governo Marinho no primeiro mandato (entre 2009 e 2012). Teve cargos à disposição dentro do Executivo. Participava das reuniões da sustentação. Outra situação para corrigir foi quando afirmou que faltaram coisas a ser cumpridas. O PPS deu legenda para ser candidato a deputado estadual, deu toda estrutura. Ele fez falas que não condizem com a verdade”, rebateu.

Em 2014, Marcelo concorreu como candidato a deputado estadual do PPS na busca do espólio eleitoral de Alex, que entrou na briga pela cadeira federal. Mas Marcelo Lima fracassou na sua disputa e culpou Alex, dizendo que o deputado federal não cumprira com compromissos firmados anteriormente.

Julinho relembrou o pleito de 2014 para novamente alfinetar Marcelo. “Na campanha passada para deputado, o Marcelo dizia que o Orlando estava ultrapassado, que era papagaio de pirata, que não produzia mais para a cidade. O discurso mudou de sentido. O que eu quero ver é como vai se comportar o eleitor dele diante disso.”

Em segundo mandato na Câmara, Marcelo se notabilizou após ser o segundo mais votado na eleição de 2012. Deixou o PPS em março, durante janela partidária, anunciando projeto solo ao Paço pelo SD. Julinho assegurou que o PPS foca ações de campanha em “debate construtivo”, reclamando do tom adotado pelos rivais. “Estão construindo mentiras e que não se sustentam. Diziam que o Alex estava próximo do PT, sendo que ele foi um dos deputados mais importantes na atuação do processo de impeachment da presidente Dilma (Rousseff, do PT, afastada). Votou para tirar o PT do poder. Outra é falar que o (William) Dib (PSDB, ex-prefeito) está com o PPS. Quem conhece a trajetória do Orlando vai olhar e ver vínculo forte entre os dois. Eu me recordo de um debate na TV em que o Orlando falava que tem o Dib como ídolo. Esses ataques se intensificaram porque estão atrás de nós em todas as pesquisas de intenções de voto.”