Notícias

Quase 20 anos depois, condenada por morte do padre Leo Comissari é presa no Rio

O missionário italiano Leo Comissari foi assassinado friamente em 1998, no Jardim Silvina, em São Bernardo do Campo, em frente à sua casa, no mesmo bairro em que iniciou sua jornada de trabalhos comunitários.

Leo foi o primeiro de uma equipe de padres e freiras de Ímola, na Itália, a chegar à cidade no final da década de 70. As obras sociais seguem ativas na instituição que hoje leva o nome de Comissari, referência em assistência social na cidade.

À época, João Carlos dos Santos, assassino confesso, foi condenado a 21 anos de prisão, porém a Promotoria apurou que ele não agiu sozinho e teria contado com a ajuda de Patrícia Dias Bicalho.

Patrícia chegou a ser dada como morta por quase duas décadas, mas no último sábado (17) foi presa no Rio de Janeiro enquanto visitava um interno do presídio Ismael Sirieiro.


 

Comente!