Memória

A primeira sala de cinema de São Bernardo

Inventado em 1895, o cinema chegou a São Bernardo do Campo nos anos 20 e até os anos 50 foi hegemônico enquanto espaço de lazer, divertimento e cultura para a população, principalmente para os jovens.

Segundo o livro Álbum de São Bernardo, publicado em 1937, “em 24 de dezembro de 1921 foi inaugurado em São Bernardo o Cine Enrico Caruso, de propriedade do Sr. José Pasin”.

O cinema, que funcionava em um prédio na Rua Marechal Deodoro, no atual nº 1.229, fechou as portas em 1931, sendo reaberto no começo de 1932, não mais como cinema, mas como ringue de patinação.

Entretanto, como ringue teve vida curta e em fins de 1932 voltou a ser cinema, com a denominação de Cine São Bernardo, tendo à frente Francisco Miele, genro do Sr. José Pasin.

Citando mais uma vez o velho Álbum de São Bernardo, do qual mantemos a grafia da época, temos: “Adquirido o prédio, em 1935, pelo Sr. Francisco Miele, passou por grande reforma interna e externa, dispondo de ampla platéa, optimas frisas, galerias e palco confortável. O Cine São Bernardo é o centro de diversões preferido pela elite social de São Bernardo, apresentando programas compostos das mais bellas pelliculas que aparecem no mercado”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desde sua inauguração nos anos 20 até 1950, o Cine São Bernardo, por ocasião do Carnaval, tinha suas poltronas retiradas e transformava-se num dos famosos salões onde eram realizados os bailes carnavalescos.

Em 1949, Francisco Miele solicitou alvará de construção de prédio para cinema. No memorial descritivo é assinalado que o cinema teria um salão para espetáculos, uma sala de espera anexa ao salão, pela qual se daria acesso ao público, bar que funcionaria com bomboniére para frequentadores durante os espetáculos e salas para escritórios.

Assim, em 1951 o antigo prédio foi demolido e reconstruído, sendo reinaugurado no ano seguinte, resistindo como cinema até início dos anos 90. O edifício “José Pasin”, hoje patrimônio da cidade, é atualmente ocupado e mantido pela loja Mundial Calçados. Lá está uma placa que celebra o valor histórico do espaço.

Fonte/Fotos: Seção de Pesquisa e Documentação (Memória) de São Bernardo do Campo.