Mercedes-Benz afasta 1,8 mil funcionários temporariamente

A montadora Mercedes-Benz ampliará o número de trabalhadores em licença remunerada em sua fábrica em São Bernardo do Campo. A unidade de caminhões e ônibus terá, com o novo grupo, 1,8 mil funcionários afastados indeterminadamente.

Na semana passada, a companhia já havia anunciado mais um programa de demissão voluntária como forma de gerenciar o pessoal excedente. De acordo com a companhia, há um excedente de dois mil funcionários em sua unidade em São Bernardo do Campo.

Nessa terça (31) ainda termina o período de nove meses de salário e jornada reduzidos para os funcionários que aderiram ao PPE (Programa de Proteção ao Emprego), que foi lançado pelo governo federal em 2015.

O acordo era de uma redução de 20% na jornada em nove meses com redução de 10% dos salários para todos os trabalhadores da fábrica. Cerca de oito mil funcionários da fábrica aderiram ao programa, que ainda prevê estabilidade de mais três meses após seu término.

O mercado de ônibus e caminhões passa por uma crise ainda mais acentuada do que a do mercado automobilístico no geral. Nesse mês, trabalhadores da Volvo anunciaram o fim de uma greve após a montadora assegurar a manutenção de empregos até o fim do ano, voltando atrás da decisão de demitir 400 funcionários.