Variedades

Experimentamos o Uber dentro de São Bernardo


Nossa equipe testou o Uber em São Bernardo do Campo ao longo de todo o mês de junho. No total, foram realizadas 23 viagens entre diversos pontos da cidade, procurando não repetir os trajetos. O aplicativo foi utilizado durante a semana e também aos finais de semana.

A cidade é servida por um bom serviço de táxi. Cooperativas como a ABC Rádio Táxi e a Cooper ABC possuem ótimos profissionais em seus quadros. O preço também não deixa de ser vantajoso se comparado, por exemplo, com os táxis da capital, mas ainda é alto com relação ao Uber.

Das 23 corridas realizadas, 16 foram pelo Uber X (o mais em conta), cinco pelo Uber Black (o mais caro) e duas pelo Uber X Bike (vem com suporte para bicicletas). Pode parecer propaganda gratuita, mas a verdade é que em todas as corridas não hesitamos em dar 5 estrelas aos motoristas. É opcional, mas em 12 casos também deixamos comentários juntamente com a avaliação, tamanha foi a gentileza dos profissionais.

Entre os carros, o mais “simples”, na nossa opinião, foi um Chevrolet Classic, o que foi compensado pela educação do condutor. Nós também andamos de Etios, HB20, CrossFox, Stilo, entre outros.

Uma corrida entre o Golden Square Shopping, na avenida Kennedy, e o São Bernardo Plaza, na avenida Rotary, num sábado à noite, chegou a custar pouco mais de R$ 11,00 pelo Uber X. Um percurso que contou com trânsito na Anchieta (sim, escolhemos esse caminho para evitar semáforos) e no entorno do Walmart. O mesmo itinerário de táxi não sairia por menos de R$ 25,00.

A volta ficou por R$ 13,00. O trânsito na Rotary e a demora para chegar ao acesso na Anchieta contribuíram para a diferença, mas mesmo assim o total é praticamente metade do valor que seria cobrado pelo taxímetro na bandeira 2.

Na Câmara Municipal de São Bernardo está em andamento um projeto que prevê a proibição de aplicativos e serviços como o do Uber, sem espaço para debate com a população. Será que é esse o caminho?