Empresário de São Bernardo admite que recebeu dinheiro de Caixa 2 do PT

O empresário Carlos Cortegoso, dono da CRLS Confecções, admitiu em depoimento ao qual a TV Globo teve acesso que recebeu em 2010 pagamentos do PT por meio de caixa 2 (fora da contabilidade oficial do partido).

Cortegoso afirmou no depoimento que, como quitação de uma dívida do PT, a CRLS recebeu R$ 300 mil, em outubro de 2010, da Consist, uma das empresas investigadas pela Custo Brasil – um desdobramento da Lava Jato que apura supostas fraudes cometidas no Ministério do Planejamento em operações de crédito consignado a servidores federais. O ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo é um dos suspeitos de integrar o esquema criminoso.

Responsável pela defesa de Cortegoso, o advogado Márcio Decreci afirmou ao G1 que não se manifestará sobre o depoimento. “O processo corre em segredo de Justiça. Me limito a não esclarecer nada por questão disso. Neste momento, não quero dar nenhuma opinião”, enfatizou.