Notícias

Greve dos ônibus intermunicipais não tem previsão para acabar

Motoristas e cobradores de cinco empresas de ônibus do Grande ABC entraram em greve na manhã desta quinta-feira (08/09) por falta de pagamento de salários. A paralisação afeta aproximadamente 25 mil pessoas que utilizam as 21 linhas intermunicipais que circulam entre as cidades da Região e São Paulo. Passageiros lotam os pontos de ônibus e disputam uma vaga nos poucos coletivos que passam.

A greve atinge cerca de 160 ônibus da Auto Viação Triângulo, Viação São Camilo, Viação Urbana, Viação Imigrantes e Viação Riacho Grande. As linhas têm como ponto final o terminal Sacomã, na Zona Sul de São Paulo.

De acordo com o coordenador da subsede São Bernardo e Diadema do Sintetra (Sindicato dos Rodoviários do ABCD), Cleuber Moura, a greve não tem previsão de encerramento, já que os trabalhadores só voltarão a operar quando o salário for depositado. “O trabalhador perdeu a paciência”, declarou.

Além do salário e ticket atrasados, Moura explica que em setembro há um agravante, pois a primeira parcela da Participação nos Lucros e Resultados tem que ser depositada este mês.

Segundo o site ABCD Maior, o empresário Baltazar José de Souza explica que o atraso no pagamento acontece porque a EMTU não faz o devido repasse de verba para as empresas. “Iremos tentar um acordo com os trabalhadores para que tudo seja pago até o final da semana”, disse. A EMTU não se pronunciou a respeito.


Comente!