Volkswagen atinge 1.337 demissões voluntárias, mas ainda há excedente de 2,3 mil

A Volkswagen conseguiu 1.337 adesões em seu Plano de Demissão Voluntária (PDV) na fábrica de São Bernardo do Campo, informou o Sindicato dos metalúrgicos do ABC.

O programa, válido para funcionários da produção e do setor administrativo, foi aberto em 4 de agosto, e terminou no último dia 12.

Os funcionários que aderissem ao PDV receberiam o equivalente a 20 salários, além de meio salário extra para cada ano trabalhado.

Ainda segundo o sindicato, o excedente na fábrica era de 3,6 mil funcionários, de um total de 10,5 mil empregados. O PDV é parte de um acordo firmado em agosto entre a fabricante e a entidade, que também irá garantir a estabilidade até 2021 para os funcionários que ficaram.

Agora, a entidade afirma que os demais trabalhadores terão a condição gerenciada pela Volkswagen. No próximo dia 3 de outubro, 418 funcionários entrarão no regime de layoff, com contratos suspensos por até cinco meses.

A montadora também irá continuar com o Programa de Proteção ao Emprego do governo, o PPE, que reduz a jornada de trabalho em 30% com salários 15% menores. Neste caso, entram os funcionários da produção.