Quem vai gerenciar o dinheiro da campanha de Tarcisio Secoli?

Mais um episódio com a primeira-dama de São Bernardo, Nilza de Oliveira (PT), como protagonista causou turbulência na campanha a prefeito do secretário de Serviços Urbanos e de Coordenação Governamental, Tarcisio Secoli (PT).

Nilza avisou a Tarcisio e ao prefeito Luiz Marinho (PT) que pretende gerenciar os recursos do projeto eleitoral, função que tradicionalmente compete ao coordenador de campanha. Esse posto é ocupado pelo deputado estadual Luiz Fernando Teixeira (PT), que chegou a ser cotado para ser o prefeiturável da legenda, mas retirou a intenção para apoiar Tarcisio.

A interlocutores, Luiz Fernando externou desconfiança com o pedido de Nilza, que é secretária de Planejamento e Orçamento Participativo no governo do marido. Publicamente, porém, mantém posição de adesão incondicional ao projeto de Tarcisio.

O clima de instabilidade na coordenação de campanha tem feito Marinho cogitar mudanças. Ele confidenciou a alguns aliados que pode ficar à frente do projeto eleitoral do pupilo e ter Luiz Fernando como seu braço-direito. Desta forma, buscaria agradar a mulher – já que algumas tarefas seriam designadas a ela – e manteria a paz com o deputado estadual, que tem bom trânsito junto às classes A e B de São Bernardo, onde o PT possui dificuldade de penetração.

Tarcisio sofre para subir em pesquisas de intenções de voto. Até mesmo levantamentos feitos pelo governo indicam que, até agora, o secretário não emplacou como candidato. Ele segue muito atrás do deputado federal Alex Manente (PPS) e do deputado estadual Orlando Morando (PSDB).

O assunto deve ser tema de reunião nesta semana. Tarcisio queria antecipar a conversa, mas Marinho e Nilza decidiram descansar no feriado prolongado. O pré-candidato do PT à Prefeitura manteve agendas políticas no fim de semana.

Leia também: