Fotos mostram um Paço Municipal destruído pelas obras e à espera de vontade política

O Paço Municipal de São Bernardo vai completar 50 anos de fundação em 2019 e as perspectivas, ao menos até o momento, não são boas. Uma série de obras, muitas ainda não concluídas, descaracterizaram o projeto inicial, elaborado por engenheiros da prefeitura nos anos 60.

Tudo começou com o novo prédio da Câmara Municipal erguido sem consulta popular sob a alegação de que o anterior não comportava o número de vereadores e assessores.

Na sequência, o polêmico projeto Drenar, que promete acabar com as enchentes, abriu um enorme buraco onde antes havia um mosaico português, palco de manifestações, atividades culturais e outros eventos. Ali, em breve, um piscinão armazenará a água captada pelas galerias perfuradas na Faria Lima e na Jurubatuba.

Ao lado, o esqueleto de um museu que pretende homenagear os trabalhadores, espaço esse que pode ganhar outra utilidade na visão do prefeito eleito, Orlando Morando (PSDB).

As duas obras em andamento, Drenar e museu, totalizam mais de R$ 300 milhões em investimentos. Segundo a atual gestão, devem ficar prontas até o final do mês de dezembro.

Se já não bastasse tanta intervenção na região central, um processo de recapeamento no entorno do Paço, iniciado nos últimos dias, vem causando ainda mais lentidão ao já vagaroso trânsito de São Bernardo. Tudo isso sem contar a má conservação das passarelas, pichadas e trincadas, oferecendo diversos riscos à população.

As imagens da galeria abaixo foram registradas pela equipe do SBC INFO no início da tarde deste domingo, 6 de novembro de 2016.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leia também: