A história mal contada sobre a fabricação de caças Gripen em São Bernardo

Na última terça-feira, dia 22 de novembro, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), brigadeiro Nivaldo Rossato, estiveram na cidade de Gavião Peixoto, no interior de São Paulo, para inaugurar o Centro de Projetos para o desenvolvimento de caças do tipo Gripen NG.

Brasil e Suécia chegaram a um acordo para a compra de 36 aviões da empresa Saab, operação que incluía a transferência de tecnologia. Gavião Peixoto foi escolhida para instalação do centro por ser uma das bases da Embraer, empresa nacional parceira do projeto.

A produção dos caças em terras brasileiras obedece a uma série de fases e a inauguração ocorrida nesta semana marca o início de um longo trajeto. As primeiras aeronaves devem ser entregues entre 2019 e 2024.

Em dezembro de 2013, cogitava-se que a construção dos caças seria realizada em São Bernardo do Campo. O então prefeito Luiz Marinho afirmou, à época, em entrevista ao site Valor Econômico, que a operação da fábrica da Saab na cidade começaria em 2015.

Ao longo de 2014, a notícia foi ratificada pela Agência de Desenvolvimento Econômico do Grande ABC quando, ao declarar que executivos da Saab estiveram reunidos com Luiz Marinho, estes anunciaram o investimento inicial de 150 milhões de dólares em uma fábrica são-bernardense.

No início de 2015, o portal G1 noticiou que o Ministério Público Federal chegou a abrir um procedimento preparatório para investigar possíveis irregularidades na compra dos caças.

Em outubro daquele mesmo ano, o jornal Diário do Grande ABC divulgou que a SBTA (São Bernardo Tecnologias Aeronáuticas), fruto de uma parceria que seria estabelecida entre a Saab e o Grupo Inbra, de Mauá, abriria escritório no primeiro semestre de 2016, contratando cerca de 1.300 funcionários.

Nesta quinta-feira, dia 24 de novembro de 2016, em resposta a um e-mail encaminhado pelo SBC INFO, a assessoria de imprensa da Saab explicou a real situação de São Bernardo do Campo em relação ao projeto Gripen.

A nota emitida pela empresa contradiz muito do que já foi declarado a respeito do tema e coloca o município apenas entre um dos possíveis locais que abrigará a fábrica. O SBC INFO também apurou que a empresa SBTA ainda não saiu do papel.

“A Saab está definindo a localização de sua fábrica de aeroestruturas no Brasil que, em breve, será confirmada. No entanto, a região do ABC é reconhecida como um centro industrial importante no Brasil e abriga mão-de-obra altamente qualificada. Por essa razão, São Bernardo do Campo é uma das cidades que estão sendo avaliadas pela Saab.”, diz o texto.

A Prefeitura de São Bernardo do Campo, o Grupo Inbra e a Embraer foram procurados para se pronunciarem a respeito do caso.

Mais informações em breve.

Leia também: