Notícias

Marinho desafia Justiça a provar desvios no Museu do Trabalho; secretários deixam hoje a prisão

O prefeito de São Bernardo de Campo, Luiz Marinho, desafiou o Judiciário para que encontre provas a respeito das suspeitas de desvios no Museu do Trabalho e do Trabalhador, em construção na região central.

A obra foi alvo da operação Hefesta da Polícia Federal, deflagrada na semana passada.

Durante a prestação de contas de seu mandato que ocorreu na terça-feira, dia 20 de dezembro, Marinho afirmou que não houve qualquer irregularidade na obra e que a mesma foi um pedido seu e não do ex-presidente Lula.

Os secretários da administração municipal de São Bernardo, Alfredo Luís Buso (Obras) e Osvaldo de Oliveira Neto (Cultura), vão deixar hoje a carceragem da Polícia Federal na Capital, depois de cumprirem prisão temporária de oito dias de reclusão e prestar depoimento sobre investigação em supostos desvios de recursos para a construção do Museu.

A PF e o Ministério Público Federal os acusam de operar um esquema que teria desviado R$ 7,9 milhões de verbas destinadas à obra.


Comente!