Hospital Assunção é acusado pelo vazamento de exames da ex-primeira-dama

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) instaurou uma sindicância para apurar o vazamento de imagens dos exames da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, internada desde a semana passada por causa de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Fotos e imagens em vídeo dos exames da ex-primeira-dama circulam nas redes sociais desde o dia da internação. Segundo fontes médicas, as imagens correspondem ao do procedimento ao qual Marisa foi submetida no Hospital Assunção Rede D’or, localizado em São Bernardo do Campo, onde recebeu o primeiro atendimento antes de ser transferida para o Sírio-Libanês, em São Paulo.

O Sírio divulgou uma nota na qual afirma que as imagens não saíram da unidade de saúde. “A instituição zela pela privacidade de seus pacientes e repudia a quebra de sigilo médico por qualquer profissional de saúde”, diz a nota.

O Hospital Assunção, também por meio de nota, afirmou que repudia o vazamento e também tomou providências. “O hospital esclarece que tão logo tomou conhecimento do evento, imediatamente instaurou sindicância interna para apuração dos fatos, tendo suspendido e afastado os envolvidos na investigação até a sua conclusão”, diz a nota.

Nesta segunda-feira (30), o Sírio emitiu uma nota a respeito do estado de saúde de Marisa Letícia. “A paciente segue na UTI com condições neurológicas inalteradas”, diz o texto.

Comente!