Memória

A história da Associação Feminina Beneficente Bartira de São Bernardo

A Associação Feminina Beneficente Bartira nasceu em 1944 em meio ao clima de entusiasmo proporcionado pela possibilidade da conquista da emancipação de São Bernardo.

Fundada por senhoras da cidade, lideradas por Odette Tavares Bellinghausen, a associação tinha como finalidade principal a assistência a maternidade e infância desprotegidas.

Funcionando inicialmente junto ao Departamento Feminino da Associação de Amigos de São Bernardo – por sugestão de seu presidente Wallace Simonsen –, logo se torna independente, tendo em vista que seus objetivos divergiam. Passa então a ter como sede a residência de sua mentora e presidente Odette Tavares Bellinghausen, na Rua Carlos Del Prete, 55, Nova Petrópolis.

Em novembro de 1944, a Associação Bartira publicava seu 1º boletim com o movimento de caixa referente a setembro e outubro de 1944 e divulgava os trabalhos que seriam desenvolvidos, como a campanha denominada “Natal dos Pobres”.

Foto de Beltran Asêncio, Coleção Família Bellinghausen. Acervo da Seção de Pesquisa e Documentação
Foto de Beltran Asêncio, Coleção Família Bellinghausen. Acervo da Seção de Pesquisa e Documentação

Tanto a Campanha do Natal como a do Inverno, promovidas pela Associação Bartira, envolviam vários setores de São Bernardo, pois as coletas de donativos se estendiam às indústrias e casas comerciais. As sócias aglutinavam outras senhoras da cidade para auxiliar na obtenção e confecção de agasalhos, organização e distribuição das roupas e alimentos.

A Associação extrapolou seu caráter meramente social. A arte e a cultura também foram alcançadas por ela por meio da promoção de shows de música, teatro e poesia – sempre com fins beneficentes –, onde vários talentos da região foram descobertos e divulgados.

Dentre suas atividades que fizeram história destaca-se o Show Pró-Livro, realizado no antigo Cine Anchieta, em 14 de dezembro de 1949, com o objetivo de arrecadar livros para organizar uma biblioteca em São Bernardo.

A Associação Bartira também possibilitou a organização de um coral de cantores de São Bernardo e Santo André e um conjunto de harmônicas – o primeiro da nossa cidade.

Para o desenvolvimento de seu amplo programa filantrópico, contava a Associação, de acordo com registros de 1953, com as contribuições mensais de suas sócias, com subvenção anual da Prefeitura e do Estado, donativos de particulares e renda de shows e festivais.

O último boletim da Associação data de 1962, quando o ritmo de suas atividades já entrava em declínio, motivado pela impossibilidade de dedicação plena dos seus dirigentes, como também pela falta de novas pessoas dispostas a se dedicarem às atividades propostas. Mesmo assim, durante ainda quatro anos foram realizadas as campanhas anuais de inverno.

Fonte/Fotos: Seção de Pesquisa e Documentação (Memória) de São Bernardo do Campo.


Compartilhe!