Quem foi Frei Gaspar?

O trecho mais antigo da Rua, nas imediações da Rua Marechal Deodoro, ganhou pavimentação com paralelepípedos no início da década de 1950. O trecho entre o Ribeirão dos Meninos (atualmente canalizado sob a Avenida Faria Lima) e o trevo do quilômetro 22,5 da via Anchieta foi aberto em 1954.

Frei Gaspar da Madre de Deus nasceu em São Vicente, em 1715, e pertencia a uma das mais antigas famílias de povoadores do Brasil. Era filho de Domingos Teixeira de Azevedo (coronel do Regimento de Ordenanças de Santos e São Vicente e provedor da Real Casa de Fundição de Paranaguá) e neto de Gaspar Teixeira de Azevedo, antigo capitão-mor da Capitania de São Vicente (1697-1699) e provedor dos reais quintos de ouro e Amador Bueno, o Aclamado, capitão-mor e ouvidor da Capitania em 1627. Foi o segundo de seis irmãos; ficou órfão de seu pai cedo, sendo criado por sua mãe. Estudou no Colégio da Companhia de Deus, em Santos.

Rua Frei Gaspar em 1954.
Rua Frei Gaspar em 1954 (Foto: Acervo da Seção de Pesquisa e Documentação de SBC)

Aos 16 anos, apresentou-se ao novicio Beneditino. Noviço na Bahia, estudou filosofia, história e ciências eclesiásticas. Passou-se para o Mosteiro do Rio de Janeiro, onde continuou a ser discípulo do professor doutor frei Antonio de São Bernardo. Viajou para Portugal, onde permaneceu algum tempo. Mestre de filosofia e teologia no mosteiro fluminense, viu-se em 1743 investido na cátedra de teologia. Em 18 de maio de 1749, defendeu teses de teologia e história, recebendo o doutorado. Redigiu a Dissertação e Explicações, onde revelou profundo conhecimento da história de São Paulo. Em 28 de janeiro de 1800, em Santos, morre Frei Gaspar, com 85 anos, deixando inúmeras obras, tais como: Notícias dos anos em que se descobriu o Brasil; Dissertação e Explicações; Extrato Genealógico; Memórias da História da Capitania de São Vicente, e muitas outras, entre as quais se destaca Fundação da Capitania de São Vicente e Memórias para a História da Capitania de São Vicente.

A denominação tradicional da rua foi oficializada pela lei municipal 629, de 31 de março de 1958, embora já fosse conhecida por este nome desde, pelo menos, 1937. A lei municipal 3522, de 3 de julho de 1990, estendeu a denominação à sua extensão, entre as ruas José Bonifácio e Brasílio Machado.

Fonte/Fotos: Seção de Pesquisa e Documentação (Memória) de São Bernardo do Campo.

Leia também: