Notícias

Paredes limpas por fora, mas prédios ‘caindo aos pedaços’ por dentro em São Bernardo

Moradores de diferentes bairros de São Bernardo do Campo entraram em contato com a equipe do SãoBernardo.INFO opinando a respeito da ação da Prefeitura batizada de “Parede Limpa”.

De acordo com os relatos recebidos pela reportagem, a maioria apoia a iniciativa da atual gestão, mas não faltam críticas ao fato de que o trabalho se resume à pintura externa, enquanto os problemas estruturais seguem sem solução.

Segundo uma moradora do Jd. Silvina, que pediu para não ser identificada, “do que adianta a parede limpa por fora, enquanto o prédio da escola do bairro está caindo aos pedaços por dentro?”.

A proposta da “Lei Parede Limpa” é recuperar e preservar patrimônios públicos e particulares, punindo com multa os atos de vandalismo. O texto oficial não deixa explícito se haverá reforma ou revitalização dos locais.

Conforme divulgou o prefeito Orlando Morando, cerca de 90 espaços já foram limpos em dois meses. Um formulário online disponível na internet permite que sejam feitas denúncias de pichação (veja aqui).

Este slideshow necessita de JavaScript.

A equipe do SãoBernardo.INFO visitou três equipamentos que receberam o mutirão organizado pela administração municipal.

O CREC da Vila Marlene teve a parede externa pintada, mas é possível ver que internamente o local necessita de reparos.

Uma funcionária consultada pela reportagem afirmou que a “pintura ainda não foi concluída e que uma reforma geral está prevista para o próximo ano”.

A Câmara de Cultura, na Rua Marechal Deodoro, e a Seção de Pesquisa e Documentação, na Alameda Glória, também receberam limpeza externa, atividade que inclusive contou com a presença do prefeito.

As duas casas, ambas de alto valor histórico para a cidade, sofrem com a falta de conservação, mesmo tombadas pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural.


Envie sua denúncia, reclamação ou opinião para nossa equipe. Saiba como proceder aqui.


Compartilhe!