Notícias

Sem gás na cozinha, alunos comem comida fria em escola municipal de São Bernardo

Atualizado em 07/12 às 12h31

Um grupo de pais de alunos da EMEB Josué de Castro, localizada no Jardim Farina, em São Bernardo do Campo, vem reclamando nas redes sociais a respeito de problemas envolvendo a cozinha da escola.

De acordo com as publicações, neste ano, em mais de uma oportunidade, foram registrados vazamentos de gás, o que exigiu o corte do abastecimento, prejudicando o fornecimento de refeição aos alunos que têm entre um e três anos de idade.

Conforme apurado pela reportagem, para não deixar as crianças sem almoço e janta, as cozinheiras da creche se deslocam até uma escola vizinha para preparar os alimentos. Mesmo com o esforço das funcionárias, a comida é servida fria aos alunos na maioria das vezes.

“Elas levam tudo até a EMEB Aldino Pinotti e esperam a Prefeitura para transportar o alimento de volta. Nesse meio tempo, a comida esfria”, explica uma mãe que pediu para não ser identificada. “A escola é ótima e as funcionárias fazem o que podem, mas a administração municipal precisa fazer a parte dela”, reforça.

Em grupos no Facebook, vereadores acionados por munícipes alegam que já estão em contato com a direção da escola e com a empresa que faz o fornecimento de gás para resolver a situação.

O risco de explosão também preocupa a vizinhança. Um dos motivos para a interrupção do fornecimento de gás seria de ordem estrutural. De acordo com relatos, a tubulação necessita de reparos.

Em reunião que teria sido realizada nesta semana, os pais dos estudantes foram informados de que o problema só terá solução após o fim do ano letivo. O encerramento das aulas está previsto para o dia 21 de dezembro.

A Prefeitura foi contatada pela reportagem e emitiu uma nota sobre o caso. Leia abaixo na íntegra.

“A Prefeitura de São Bernardo, por meio da Secretaria de Educação, informa que o serviço de merenda na EMEB Josué de Castro está sendo oferecido aos alunos de maneira regular, sem qualquer tipo de ocorrência. A alimentação das crianças no período das aulas não sofreu nenhum prejuízo, já que está sendo produzida em outra unidade escolar e transportada para esta escola em dois horários. O cardápio não sofreu alterações.

A direção da escola registrou um problema de vazamento na tubulação de gás. A Divisão de Manutenção Escolar identificou o vazamento e fechou todos os cilindros para que não ocorresse nenhum acidente. Este departamento orientou a diretora da escola a fazer a contratação emergencial de uma empresa para o reparo do encanamento, utilizando a verba do projeto Escola Linda, iniciativa desta gestão que disponibilizou recursos para intervenções de manutenção e conservação de 200 unidades escolares.

A direção da escola, por meio da APM (Associação de Pais e Mestres), está fazendo a cotação do serviço com a solicitação de três orçamentos para a contratação de uma empresa para realizar a manutenção. A equipe de gestão da escola, em parceria com a Secretaria da Educação, tem feito o possível para resolver a questão com celeridade.”


Compartilhe!
  • 1.6K
    Shares